sábado, 15 de abril de 2017

Hard Time: há 20 anos O'Brien sofria em um dos melhores episódios de DS9

Miles: "Paguei bondade com sangue"

Os episódios onde o Chief O'Brien passa por grandes provações são um clássico de DS9. Foram tantas histórias que levaram nosso querido Miles a situações extremas que até mesmo um nome para esse tipo de episódio foi criado, sendo conhecidos como "O'Brien must suffer!" (O'Brien deve sofrer).

Há exatos 20 anos, em 15 de abril de 1996, estreava Hard Time. Este é um dos meus episódios favoritos, não só de DS9, mas de toda a franquia Star Trek. É uma história poderosa, sobre a força das memórias em nossas vidas, sobre como a soma das nossas experiências constrói aquilo que somos. 

Na primeira cena vemos um Miles O'Brien envelhecido e maltrapilho, desenhando formas geométricas no chão de uma cela. Está sendo libertado após cumprir longa pena. "Eu não posso ir. Para onde eu iria?", questiona confuso. Na cena seguinte vemos O'Brien, ladeado pela major Kira, ser despertado após um tipo de procedimento. De fato, ele não cumpriu nenhuma pena. Experimentou uma realidade artificial, que implantou memórias de 20 anos no cárcere em sua mente. 

Miles desenha eseekas

Tudo começou quando em uma visita ao mundo dos argrathi Miles foi tido como um espião e condenado por espionagem. O sistema judicial do planeta não encarcera verdadeiramente os criminosos, mas incute em suas mentes as memórias de anos e anos na prisão, em apenas algumas horas. 

Hábitos podem se arraigar profundamente. No primeiro jantar em família após a "prisão", Miles, de maneira autômata, começar a guardar comida em um guardanapo, devido a escassez de alimentação que experimentou no cárcere. Igualmente, Keiko ao acordar no meio da noite e não encontrar o marido na cama acaba por descobri-lo deitado no chão, maneira que dormiu nos últimos 20 anos de sua memória.

Ee'Char

O'Brien tinha um companheiro de cela chamado Ee'Char, e começa a vê-lo pela estação. Este amigo foi a única companhia que teve em 20 anos. Foi a pessoa que lhe ensinou a fazer "eseekas", as formas geométricas que vemos Miles desenhando no início do episódio, como forma de limpar a mente. Porém, Miles não está conseguindo se readaptar à vida na estação. O sofrimento da cela ainda continua. Acaba por brigar com seu grande amigo Bashir, agride Quark, descontrola-se com Molly e recusa-se a visitar um conselheiro. Então ele conversa com Ee'Char, que está apenas dentro de sua cabeça, como um resquício das memórias da prisão. Ee'Char, que funciona como a representação do seu inconsciente, tenta ajudá-lo, tenta mostrar que Miles não está bem. A questão é que O'Brien matou seu companheiro de cela ao avaliar equivocadamente que ele escondia comida para si. "Paguei bondade com sangue", ele diz. 

O'Brien deseja morrer

Não suportando mais a pressão do retorno à vida na estação Miles O'Brien decide se matar com um fêiser. Uma das cenas mais sombrias de toda a franquia Star Trek. Então Bashir chega e tenta dissuadi-lo, conversando. Miles conta a história de seu amigo Ee'Char. Por fim, a memória de Ee'Char se desvanece e O'Brien aceita a ajuda de Bashir no tratamento da depressão que o acomete. Sem dúvida, este episódio é muito triste e marca uma das maiores sofrências de O'Brien.




Nenhum comentário:

Postar um comentário